Tudo passa, até a uva-passa

As uvas-passas vão passar nesse natal. E você vai procurar outro alimento para falar mal logo em seguida?

Erika Souza

O preconceito alimentar é algo tão latente que as pessoas não se incomodam em fazer campanhas públicas contra certos pratos.

Ninguém é obrigado a gostar de tudo, mas ficar ditando regra dos gostos alimentares é muito desagradável.

Eu não como sushi, camarão, açaí. Sei que esses alimentos têm legiões de fãs. Minha filha, por exemplo, é louca por camarão. Nem de pudim eu gosto. E como faço para conviver com isso? Simplesmente não como. Eu não suporto nem o cheiro de sushi, então nem frequento lugares onde o alimento é servido.

sushi

Meu sonho de consumo alimentar é uma bela e suculenta bisteca suína. Porém, sou intolerante a esse alimento. Isso me deixa triste pra caramba! Várias vezes, em churrasco, eu fico babando pela carne de porco. Não só a boca, mas os olhos também enchem d’água pelo desejo de saborear, nem que seja um pedacinho, mas não posso.

Há no mundo diversos tipos de intolerâncias alimentares. Pessoas que não podem sequer comer um pão com margarina, acompanhada de um café com leite.

E agora aquele discurso de mãe: E as milhões de pessoas no mundo que nem têm o que comer? Sei que ninguém tem culpa disso, nem esse post é para o convencer a comer o que não gosta. Apenas peço que seja gentil com quem cozinha para você.

Fazer ceninha e dar chilique porque tem uva-passa no arroz não é infantilidade não, é falta de educação mesmo.

A melhor maneira de evitar aborrecimentos é você mesmo fazer sua própria comida todos os dias. Dessa forma só terá os alimentos que você gosta, com seus temperos e ao seu ponto.

Eu gosto muito de manga. Inclusive manga com arroz é uma iguaria perfeita. O tipo de coisa que causa muito estranhamento ao meu marido, que assim como eu, em relação ao sushi, ele não suporta manga. Nem o cheiro. Então qual é minha missão? Ficar insistindo com ele para que vivencie essa extraordinária experiência gastronômica? Não! Devo respeita-lo e preparar meu arroz com manga e ser feliz. Pronto.

Insistir para que as outras pessoas comam das mesmas comidas que você gosta é tão desagradável quanto ficar reclamando da comida dos outros.

Em época de fim de ano, em que os convites para confraternização natalina, formatura, casamento (muita gente casa em dezembro) aumentam, nessa ocasião saiba que haverá algum prato que você não vai gostar. Minhas dicas são:

– Coma do outro prato que você gosta;

– Se não tiver nada que você goste fique calado.

Esse post vai ser curtinho mesmo, mas deixo aqui uma publicação da semana passada que tem uma opinião bem parecida com essa, só que sobre outros assuntos:

Nunca imaginei você curtindo isso…

Ah, e a melhor comida do mundo é cuscuz. Postei, saí correndo.

Vamos aumentar a conversa? Comente este artigo.